Dialogue

Vocabulary

Learn New Words FAST with this Lesson’s Vocab Review List

Get this lesson’s key vocab, their translations and pronunciations. Sign up for your Free Lifetime Account Now and get 7 Days of Premium Access including this feature.

Or sign up using Facebook
Already a Member?

Lesson Notes

Unlock In-Depth Explanations & Exclusive Takeaways with Printable Lesson Notes

Unlock Lesson Notes and Transcripts for every single lesson. Sign Up for a Free Lifetime Account and Get 7 Days of Premium Access.

Or sign up using Facebook
Already a Member?

Lesson Transcript

INTRODUCTION
Sílvia: Hello, and welcome to PortuguesePOD101.com, the fastest, easiest, and most fun way to learn Portuguese!
Bruno: I'm Bruno, and thanks again for being here with us for this Upper Intermediate S1 lesson.
Sílvia: Nesta lição você aprenderá sobre a estrutura da forma verbal.
Bruno: Esta conversa acontece na sala de aula da faculdade.
Sílvia: Esta conversa se dá entre a professora e seu convidado, Cícero.
Bruno: Tanto a professora quanto o Cícero são peritos na língua portuguesa e vão introduzir um conceito complicado para a classe.
DIALOGUE
Professora: Então classe, hoje temos uma apresentação especial com o doutor Cícero Sandrone. Eu e ele vamos explicar sobre a estrutura da forma verbal.
Cícero: Exatamente. Bom dia classe! Então, todo verbo do português, na sua forma infinitiva, contém dois elementos – um lexical, que se refere à realidade do mundo externo à língua, ou seja, é a parte em que vai embutida a sua significação.
Professora: Que também se chama radical ou raiz, como discutimos anteriormente. O outro elemento, o gramatical, compreende a sua terminação ou parte final.
Cícero: Exatamente. No qual estão embutidas as informações gramaticais que todo verbo deve conter. Dessa forma, considerando as três formas verbais seguintes, que se encontram no infinitivo – falar, correr, partir - facilmente podem estas ser seccionadas respectivamente, em - radical mais elemento gramatical ou terminação [fal-] mais [-ar], [corr-] mais [-er], [part-] mais [-ir].
Professora: O radical, por encerrar em si o significado externo do verbo, obviamente variará ao infinito e, vale dizer, por princípio, que cada verbo terá um radical diferente do outro.
Cícero: Já a terminação, justamente por conter, ao contrário, as informações próprias que qualquer verbo deve poder expressar dentro de um tema, formará uma rede fechada e com relativamente poucos elementos, por meio da qual tais informações serão formalmente transmitidas.
Sílvia: One time slowly.
Professora: Então classe, hoje temos uma apresentação especial com o doutor Cícero Sandrone. Eu e ele vamos explicar sobre a estrutura da forma verbal.
Cícero: Exatamente. Bom dia classe! Então, todo verbo do português, na sua forma infinitiva, contém dois elementos – um lexical, que se refere à realidade do mundo externo à língua, ou seja, é a parte em que vai embutida a sua significação.
Professora: Que também se chama radical ou raiz, como discutimos anteriormente. O outro elemento, o gramatical, compreende a sua terminação ou parte final.
Cícero: Exatamente. No qual estão embutidas as informações gramaticais que todo verbo deve conter. Dessa forma, considerando as três formas verbais seguintes, que se encontram no infinitivo – falar, correr, partir - facilmente podem estas ser seccionadas respectivamente, em - radical mais elemento gramatical ou terminação [fal-] mais [-ar], [corr-] mais [-er], [part-] mais [-ir].
Professora: O radical, por encerrar em si o significado externo do verbo, obviamente variará ao infinito e, vale dizer, por princípio, que cada verbo terá um radical diferente do outro.
Cícero: Já a terminação, justamente por conter, ao contrário, as informações próprias que qualquer verbo deve poder expressar dentro de um tema, formará uma rede fechada e com relativamente poucos elementos, por meio da qual tais informações serão formalmente transmitidas.
Sílvia: One time natural native speed, with translation.
Professora: Então classe, hoje temos uma apresentação especial com o doutor Cícero Sandrone. Eu e ele vamos explicar sobre a estrutura da forma verbal.
Sílvia: Now class, today we have a special presentation by Doctor Cícero Sandrone. He and I will explain about the structures of the verb form.
Cícero: Exatamente. Bom dia classe! Então, todo verbo do português, na sua forma infinitiva, contém dois elementos – um lexical, que se refere à realidade do mundo externo à língua, ou seja, é a parte em que vai embutida a sua significação.
Sílvia: Exactly. Good morning class! So, every Portuguese verb in its infinitive form contains two elements–a lexical, which refers to the reality of the world external to the language, or rather, it is the part in which the meaning is built.
Professora: Que também se chama radical ou raiz, como discutimos anteriormente. O outro elemento, o gramatical, compreende a sua terminação ou parte final.
Sílvia: It is also called the radical or root as we discussed before. The other element, which is the grammatical, encompasses the verb's ending or final part.
Cícero: Exatamente. No qual estão embutidas as informações gramaticais que todo verbo deve conter. Dessa forma, considerando as três formas verbais seguintes, que se encontram no infinitivo – falar, correr, partir - facilmente podem estas ser seccionadas respectivamente, em - radical mais elemento gramatical ou terminação [fal-] mais [-ar], [corr-] mais [-er], [part-] mais [-ir].
Sílvia: Exactly. Built into which is the grammatical information that every verb should contain. In this way, considering the three following verb forms, that are found in the infinitive – falar, correr, and partir - these can easily be sectioned into - radical plus grammatical element or ending [fal-] plus [-ar], [corr-] plus [-er], [part-] plus [-ir].
Professora: O radical, por encerrar em si o significado externo do verbo, obviamente variará ao infinito e, vale dizer, por princípio, que cada verbo terá um radical diferente do outro.
Sílvia: The radical, by holding within itself the external meaning of the verb, will obviously vary infinitely and it's worth saying, in principle, that each verb will have a different radical from any other.
Cícero: Já a terminação, justamente por conter, ao contrário, as informações próprias que qualquer verbo deve poder expressar dentro de um tema, formará uma rede fechada e com relativamente poucos elementos, por meio da qual tais informações serão formalmente transmitidas.
Sílvia: However, the ending, by precisely containing, contradictorily, the unique information that every verb must to be able to express within a linguistic realm, will form a closed network with relatively few elements through which said information will be formally transmitted.
POST CONVERSATION BANTER
Sílvia: Então, nesse diálogo mudamos o nome da Cícera um pouco.
Bruno: Foi. Existe uma organização chamada a Academia brasileira de letras e nesta organização, o presidente tem um nome muito parecido com Cícera.
Sílvia: Sim. Queríamos evitar um processo por direitos autorais então simplesmente mudamos o nome.
Bruno: Mas queríamos falar um pouco sobre a academia brasileira de letras, que é uma organização muito respeitada no Brasil.
Sílvia: A ABL é uma organização brasileira dedicada ao crescimento e cultivo do português brasileiro.
Bruno: A ABL se fundou em 1897 com Machado de Assis como presidente.
Sílvia: Atualmente, a associação tem quarenta membros perpétuos, escolhidos por votação secreta, e vinte sócios correspondentes estrangeiros.
Bruno: A Associação Brasileira de Letras é a autoridade mais alta em relação à lingua portuguesa.
Sílvia: Vamos olhar o vocabulário desta lição.
VOCAB LIST
Sílvia: Let's take a look at the vocabulary for this lesson.
: The first word we shall see is:
Bruno: específico [natural native speed]
Sílvia: specific
Bruno: específico [slowly - broken down by syllable]
Bruno: específico [natural native speed]
: Next:
Bruno: apresentação [natural native speed]
Sílvia: presentation
Bruno: apresentação [slowly - broken down by syllable]
Bruno: apresentação [natural native speed]
: Next:
Bruno: doutor [natural native speed]
Sílvia: doctorate, Ph. D. doctor
Bruno: doutor [slowly - broken down by syllable]
Bruno: doutor [natural native speed]
: Next:
Bruno: estrutura [natural native speed]
Sílvia: structure
Bruno: estrutura [slowly - broken down by syllable]
Bruno: estrutura [natural native speed]
: Next:
Bruno: infinitivo [natural native speed]
Sílvia: infinitive
Bruno: infinitivo [slowly - broken down by syllable]
Bruno: infinitivo [natural native speed]
: Next:
Bruno: léxico [natural native speed]
Sílvia: lexical
Bruno: léxico [slowly - broken down by syllable]
Bruno: léxico [natural native speed]
: Next:
Bruno: externo [natural native speed]
Sílvia: external
Bruno: externo [slowly - broken down by syllable]
Bruno: externo [natural native speed]
: Next:
Bruno: mundo [natural native speed]
Sílvia: world
Bruno: mundo [slowly - broken down by syllable]
Bruno: mundo [natural native speed]
: Next:
Bruno: embutir [natural native speed]
Sílvia: to build in, to make a part of, to embed
Bruno: embutir [slowly - broken down by syllable]
Bruno: embutir [natural native speed]
: Next:
Bruno: significação [natural native speed]
Sílvia: meaning
Bruno: significação [slowly - broken down by syllable]
Bruno: significação [natural native speed]
: Next:
Bruno: radical [natural native speed]
Sílvia: radical
Bruno: radical [slowly - broken down by syllable]
Bruno: radical [natural native speed]
: Next:
Bruno: terminação [natural native speed]
Sílvia: ending, terminal, termination
Bruno: terminação [slowly - broken down by syllable]
Bruno: terminação [natural native speed]
: Next:
Bruno: justamente [natural native speed]
Sílvia: precisely, right
Bruno: justamente [slowly - broken down by syllable]
Bruno: justamente [natural native speed]
: Next:
Bruno: contrário [natural native speed]
Sílvia: contrary
Bruno: contrário [slowly - broken down by syllable]
Bruno: contrário [natural native speed]
: Next:
Bruno: formalmente [natural native speed]
Sílvia: formally
Bruno: formalmente [slowly - broken down by syllable]
Bruno: formalmente [natural native speed]
VOCAB AND PHRASE USAGE
Sílvia: Vamos examinar um pouco mais algumas palavras e frases desta lição.
Bruno: No diálogo, ouvimos a frase “variará ao infinito”
Sílvia: A tradução literal é 'will vary to the infinite.'
Bruno: mas significa 'it varies infinitly.'
Sílvia: É uma frase muito cuidadosa. Muitas pessoas diriam "variará infinitivamente" mas Cícera queria mostrar que o radical 'pode' ter um número infinito de variações invés de que o radical 'vai' ter um número infinito de variações.
Bruno: A próxima frase é "realidade do mundo externo à língua"
Sílvia: A tradução literal é 'Reality of the external world to the language.'
Bruno: Mas significa 'reality of the world that is external to the language.'
Sílvia: Então qual é a próxima frase?
Bruno: No diálogo, ouvimos a frase "facilmente podem estas respectivamente ser secionadas"
Sílvia: A tradução literal é 'easily can these respectively be sectioned'
Bruno: mas significa 'these could be easily sectioned apart, respectively.'
Sílvia: Mais uma vez, esta é mais poesia do que gramática. A gramática rigorosa do português permite que a ordem das palavras seja flexível sem mudar o sentido.
Bruno: “Respectivamente” is one of the few Brazilian Portuguese palavras that still preserves the 'c-t' which has been otherwise removed. Also it's 'respectiv(a)mente' not 'respectiv(uh)mente'
Sílvia: Então qual é a próxima frase?
Bruno: No diálogo, ouvimos a frase "qualquer verbo deve poder expressar"
Sílvia: A tradução literal é 'any verb must to be able to express'
Bruno: mas o significado é 'any verb must be able to express' the 'to' is removed.
Sílvia: O significado é óbvio, mas por favor, perceba que a preposição 'para' não foi usada aqui.
Bruno: Neste caso, 'deve' age como um verbo auxiliar, o que significa que não tem seu sentido completo.
Sílvia: Se tivesse o "para" aí seria "qualquer verbo deve para poder expressar." Essa frase está incorreta. O verbo “dever” só é seguido da preposição “para” quando tem sentido de dívida, por exemplo
Bruno: A próxima frase é "cada verbo terá um radical diferente do outro."
Sílvia: A tradução literal é 'each verb will have a different radical from another.'
Bruno: mas significa 'Each and every verb will have a different radical from any other.'
Sílvia: Lembre-se de que 'cada' não significa 'each.' "Cada" é mais intenso, e tem um sentido mais próximo a 'each and every.'
Sílvia: Então qual é a última frase?
Bruno: No diálogo ouvimos a frase "por meio da qual tais"
Sílvia: A tradução literal é 'by medium of the which such...'
Bruno: mas em inglês normal seria 'through which such...'
Sílvia: Lembre-se de que 'tais' é o plural de 'tal' e aqui está no plural porque está conectado a um substantivo plural.
Bruno: Vamos olhar a gramática desta lição.

Lesson focus

Sílvia: Então Bruno, qual é o foco desta lição?
Bruno: O foco desta lição é "cognatos falsos."
Sílvia: No diálogo, ouvimos a frase
Bruno: "Todo verbo do português, na sua forma infinitiva, contém dois elementos – um lexical, que se refere à realidade do mundo externo à língua, ou seja, é a parte em que vai embutida a sua significação."
Sílvia: Que traduzimos como "every Portuguese verb in its infinitive form contains two elements – a lexical, which refers to the reality of the world external to the language or rather, it is the part in which the meaning is built."
Bruno: Para começar, cognatos são palavras que aparecem em duas ou mais línguas, normalmente um pouco diferente na sua forma, mas que podem ter uma fonte comum.
Sílvia: Como 'nation' no inglês e 'nação' em português. Ambas ê da mesma raiz latina.
Bruno: E se o significado de um cognato em uma língua difere da outra, se chama falso cognato. Você poderia no dar uns exemplos?
Sílvia: Sim. Em inglês o verbo "to pretend" significa "to make believe", mas no português “pretender” significa “to intend”.
Bruno: Então vamos passar alguns pares de falsos cognatos. Uma definição do inglês é dada para o português e vice versa. Vamos lá, "adepto" significa
Sílvia: "follower" ou "member", mas em português "adept" se traduz como
Bruno: "esperto" ou "capaz." Também no inglês "bonde" significa
Sílvia: "trolley car", mas no português "bond" se traduz como
Bruno: "título" ou "apólice." Próximo, no inglês 'Cobra" significa
Sílvia: "snake", mas no português "cobra" se traduz como
Bruno: "naja." Próximo, no inglês "loja" significa
Sílvia: "store", mas no português "lodge" se traduz como
Bruno: "choupana, cabana." Próximo, no inglês "oração" significa
Sílvia: "prayer" ou "sentence", mas no português "oration" se traduz como
Bruno: "discurso" ou "oração." Próximo, no inglês "marido" significa
Sílvia: "husband.", mas no português "married" se traduz como
Bruno: "casado." Próximo
Sílvia: "to search for", mas no português "procure" se traduz
Bruno: "arrumar, obter." Próximo, no inglês "quarto" significa
Sílvia: "bedroom, quarters", mas no português "quart" é uma unidade usada para medir volume que não se usa no Brasil. O mais perto seria litro.
Bruno: A dica para esta lição são os cognatos parciais. Agora, o termo "cognato parcial" não é um termo linguístico mas a ideia que queremos destacar aqui é que da mesma forma que há cognatos e falsos cognatos, também há cognatos parciais.
Bruno: Um problema comum entre línguas com muitos cognatos, como português e inglês, é que muitos cognatos têm o mesmo significado, mas não 100% o mesmo significado.
Sílvia: Por exemplo, no diálogo usou-se a frase 'compreender', que é um cognato óbvio com "comprehend" em inglês. Porém, o diálogo usou o verbo 'compreender' com sentido de 'encompass.'
Bruno: Este é um uso do verbo "compreender" muito normal...no português. Mas no inglês, "to comprehend" somente tem esse sentido em escritas muito antigas, como a Bíblia. Não se usa mais assim. Vamos revisar a lição.
Sílvia: Nesta lição revisamos fizemos uma breve revisão sobre os cognatos. Pelo português ter muitas ligações com o latim, assim como o inglês, há muitos cognatos, o que facilita um pouco o uso da língua.
Bruno: E Especialmente neste nível Intermediate e Upper Intermediate, modificar alguma palavra inglês ou espanhol para caber no português é muito tentador.
Sílvia: Ás vezes pode ser muito útil e proveitoso fazer assim. Porém, também há muitos cognatos falsos que, quando são usados, podem dificultar sua comunicação, ao invés de ajudá-la.
Bruno: O que eu mais ouço é pretender to mean "pretend." Para comunicar a ideia de "to pretend" usa-se a frase 'fazer de conta" ou “fingir”.

Outro

Sílvia: That just about does it for today.
Bruno: Attention premium members, have you used the Grammar Bank?
Sílvia: The Grammar Bank is a one-stop collection of detailed write-ups on Portuguese grammar.
Bruno: This is a must-have tool for mastering Portuguese.
Sílvia: Learn the basic formations,
Bruno: read sample sentences,
Sílvia: and study teacher tips which will really help you master the construction of the Portuguese language.
Bruno: Go to the Resource Materials section on PortuguesePod101.com, and click Grammar Bank!
Sílvia: Thanks for listening!
Bruno: Até mais!

3 Comments

Hide
Please to leave a comment.
😄 😞 😳 😁 😒 😎 😠 😆 😅 😜 😉 😭 😇 😴 😮 😈 ❤️️ 👍

PortuguesePod101.com Verified
Tuesday at 06:30 PM
Pinned Comment
Your comment is awaiting moderation.

Do you know more cognates between English and Portuguese ex. nation - nação?

PortuguesePod101.com Verified
Monday at 11:46 PM
Your comment is awaiting moderation.

Oi Se,


Thanks for your feedback. We really appreciate your opinion, and we'll take it into consideration when developing new lessons for our site.


I hope you have fun with our other lessons here!


Paloma

Team PortuguesePod101.com

Se
Thursday at 12:47 AM
Your comment is awaiting moderation.

Esta lição nåo foi tåo divertido.

Eu acho que a maioria das coisas nesta liçao poderia ter dito na maneira mais fácil.

Foi muito complicado de entender pra mim sem tradução em ingles.

Eu prefiro lições com diálogues mais casual que a gente realmente usa.