Dialogue

Vocabulary

Learn New Words FAST with this Lesson’s Vocab Review List

Get this lesson’s key vocab, their translations and pronunciations. Sign up for your Free Lifetime Account Now and get 7 Days of Premium Access including this feature.

Or sign up using Facebook
Already a Member?

Lesson Notes

Unlock In-Depth Explanations & Exclusive Takeaways with Printable Lesson Notes

Unlock Lesson Notes and Transcripts for every single lesson. Sign Up for a Free Lifetime Account and Get 7 Days of Premium Access.

Or sign up using Facebook
Already a Member?

Lesson Transcript

INTRODUCTION
None (manual write in):
Thássia: So Braden, please tell us what we will be learning in this lesson.
Braden: In this lesson, you'll be learning how to use Indirect Object pronouns.
Thássia: Where does this conversation take place and who is it between?
Braden: This conversation takes place at night during a power-outage and it's between Sofia and Daniel.
Thássia: What's the formality level?
Braden: Well, they are siblings so they will be speaking informally.
Thássia: Let's listen to the conversation.
DIALOGUE
Sofia: E a lenda do Curupira, é mais uma lenda indígena, né?
Débora: É. Ele também é chamado de Caiçara, Pai ou Mãe-do-mato, quando se imagina ser uma entidade mulher. E também entre os índios Tupis-Guaranis, existi uma outra variedade de Curupira, chamada Anhanga, um ser maligno que causava doenças ou matava índios. Há relatos de entidades semelhantes entre quase todos os indígenas da América Latina.
Sofia: (surpresa) Então ele existiu de verdade?
Débora: Dizem que ele é um menino de cabelos vermelhos e com os pés virados para trás, para despistar quem quiser seguí-lo. Algumas pessoas descrevem-no como um índiozinho montado em um porco selvagem, ou dizem que ele tem o corpo coberto por pêlos.
Sofia: E por que quase todos os índios conhecem o curupira?
Débora: Porque ele cuida das animais da florestas, protegendo contra a devastação das florestas e a caça de animais.
Sofia: Ele é perigoso, Débora?
Débora: Bem, se você nao fizer mal a natureza, ele não vai te fazer mal algum. Mas, ao entrar numa mata deve-se levar sempre uma oferenda para o Curupira. Assim ao agradá-lo, voce não se perderá na mata. Quando entramos na floresta e ouvimos barulhos estranhos, pode ser ele!
Sofia: Ah eu queria ver o curupira, ver se ele tem mesmo os pés pra trás.
Débora: Ele não vai aparecer só pra lhe conhecer, né Sofia? Ele é tão rápido que muitas vezes ao passar pela mata, parece um vento forte.
Sofia: Débora, você sabia que o Curupira tem o poder de ressuscitar qualquer animal morto sem sua permissão?
Débora: Nossa!
Sofia: É... Os índios guaranis dizem ate que ele é o “Demônio da Floresta”.
English Host: Let’s hear the conversation one time slowly.
Sofia: E a lenda do Curupira, é mais uma lenda indígena, né?
Débora: É. Ele também é chamado de Caiçara, Pai ou Mãe-do-mato, quando se imagina ser uma entidade mulher. E também entre os índios Tupis-Guaranis, existi uma outra variedade de Curupira, chamada Anhanga, um ser maligno que causava doenças ou matava índios. Há relatos de entidades semelhantes entre quase todos os indígenas da América Latina.
Sofia: (surpresa) Então ele existiu de verdade?
Débora: Dizem que ele é um menino de cabelos vermelhos e com os pés virados para trás, para despistar quem quiser seguí-lo. Algumas pessoas descrevem-no como um índiozinho montado em um porco selvagem, ou dizem que ele tem o corpo coberto por pêlos.
Sofia: E por que quase todos os índios conhecem o curupira?
Débora: Porque ele cuida das animais da florestas, protegendo contra a devastação das florestas e a caça de animais.
Sofia: Ele é perigoso, Débora?
Débora: Bem, se você nao fizer mal a natureza, ele não vai te fazer mal algum. Mas, ao entrar numa mata deve-se levar sempre uma oferenda para o Curupira. Assim ao agradá-lo, voce não se perderá na mata. Quando entramos na floresta e ouvimos barulhos estranhos, pode ser ele!
Sofia: Ah eu queria ver o curupira, ver se ele tem mesmo os pés pra trás.
Débora: Ele não vai aparecer só pra lhe conhecer, né Sofia? Ele é tão rápido que muitas vezes ao passar pela mata, parece um vento forte.
Sofia: Débora, você sabia que o Curupira tem o poder de ressuscitar qualquer animal morto sem sua permissão?
Débora: Nossa!
Sofia: É... Os índios guaranis dizem ate que ele é o “Demônio da Floresta”.
English Host: Now let’s hear it with the English translation.
Sofia: E a lenda do Curupira, é mais uma lenda indígena, né?
Braden: And the legend of the Curupira, it's another indigenous legend, isn't it?
Débora: É. Ele também é chamado de Caiçara, Pai ou Mãe-do-mato, quando se imagina ser uma entidade mulher. E também entre os índios Tupis-Guaranis, existi uma outra variedade de Curupira, chamada Anhanga, um ser maligno que causava doenças ou matava índios. Há relatos de entidades semelhantes entre quase todos os indígenas da América Latina.
Braden: It is. He's also called the Caiçara, "Father or Mother of the Jungle," when he's imagined to have the being of a woman. And also among the Tupi-Guarani Indians, there is another variation of Curupira, called Anhanga, an evil being that causes sickness or kills the Indians. There are stories of similar beings among almost all the indigenous tribes in Latin America.
Sofia: (surpresa) Então ele existiu de verdade?
Braden: (surprise) So, does he exist in truth?
Débora: Dizem que ele é um menino de cabelos vermelhos e com os pés virados para trás, para despistar quem quiser seguí-lo. Algumas pessoas descrevem-no como um índiozinho montado em um porco selvagem, ou dizem que ele tem o corpo coberto por pêlos.
Braden: They say that he's a young boy with red hair and with feet that point backward, to throw off whoever might be following him. Some people describe him as a little Indian mounted on a wild boar. Others say his body is covered with hair.
Sofia: E por que quase todos os índios conhecem o curupira?
Braden: So, why do almost all Indians know the Curipira?
Débora: Porque ele cuida das animais da florestas, protegendo contra a devastação das florestas e a caça de animais.
Braden: Because he takes care of the forest animals, protecting them against forest devastation and the hunting of animals.
Sofia: Ele é perigoso, Débora?
Braden: Is he dangerous?
Débora: Bem, se você nao fizer mal a natureza, ele não vai te fazer mal algum. Mas, ao entrar numa mata deve-se levar sempre uma oferenda para o Curupira. Assim ao agradá-lo, voce não se perderá na mata. Quando entramos na floresta e ouvimos barulhos estranhos, pode ser ele!
Braden: Well, if you don't harm nature, he won't harm you at all but as you enter in a thicket you should always take with you an offering to the Curupira. That way you please him, and you won't get lost in the thicket. When we go into the forest and hear strange sounds, it could be him!
Sofia: Ah eu queria ver o curupira, ver se ele tem mesmo os pés pra trás.
Braden: Oohh, I want to see the Curupira. To see if he really has feet turned around backward.
Débora: Ele não vai aparecer só pra lhe conhecer, né Sofia? Ele é tão rápido que muitas vezes ao passar pela mata, parece um vento forte.
Braden: He won't appear just so you can meet him, will he Sofia? He is so fast that many times as you go through the forest, it seems like a strong wind.
Sofia: Débora, você sabia que o Curupira tem o poder de ressuscitar qualquer animal morto sem sua permissão?
Braden: Did you know that the Curupira has the power to revive any animal killed without his permission?
Débora: Nossa!
Braden: Wow!
Sofia: É... Os índios guaranis dizem ate que ele é o “Demônio da Floresta”.
Braden: That's right...The Guarani Indians even say that he is the Devil of the forest.
POST CONVERSATION BANTER
Peter always does a little review about the previous lessons. explain what you are thinking about the storyline in the lesson, so the students can follow and participate - don't make them guess.
Braden: So, The Spirit of the Forest.
Thássia: Yeah, The idea behind the Curupira is that of a forest spirit, or maybe even nature god. A supernatural being that cares for and watches over nature.
Braden: It’s important to point out that in the stories the Curupira is typically a nice spirit, but maybe a bit like a spoiled child, he gets angry if you don’t bring him his offerings or doesn’t bring what he wants.
Thássia: The offerings are typically something that will maintain the balance of the forest. If you go into the forest intending to take something out you need to give an offering that replaces or balances what you are going to take out.
Braden: It reminds me a lot of Fern Gully, except he doesn’t fly. The backward feet are unique to my knowledge though.
VOCAB LIST
Braden: Let's take a look at the vocabulary for this lesson.
: The first word we shall see is:
Camila: indígena [natural native speed]
Braden: indigenous people, indian, native
Camila: indígena [slowly - broken down by syllable]
Camila: indígena [natural native speed]
: Next:
Camila: índio [natural native speed]
Braden: native, indian
Camila: índio [slowly - broken down by syllable]
Camila: índio [natural native speed]
: Next:
Camila: maligno [natural native speed]
Braden: malignant, devilish
Camila: maligno [slowly - broken down by syllable]
Camila: maligno [natural native speed]
: Next:
Camila: entidade [natural native speed]
Braden: entity, spirit, fiend
Camila: entidade [slowly - broken down by syllable]
Camila: entidade [natural native speed]
: Next:
Camila: variedade [natural native speed]
Braden: variety, diversity
Camila: variedade [slowly - broken down by syllable]
Camila: variedade [natural native speed]
: Next:
Camila: semelhante [natural native speed]
Braden: similar, resembling, fellow creature
Camila: semelhante [slowly - broken down by syllable]
Camila: semelhante [natural native speed]
: Next:
Camila: despistar [natural native speed]
Braden: foil, mislead
Camila: despistar [slowly - broken down by syllable]
Camila: despistar [natural native speed]
: Next:
Camila: floresta [natural native speed]
Braden: forest
Camila: floresta [slowly - broken down by syllable]
Camila: floresta [natural native speed]
: Next:
Camila: estranho [natural native speed]
Braden: strange, weird, odd
Camila: estranho [slowly - broken down by syllable]
Camila: estranho [natural native speed]
: Next:
Camila: vento [natural native speed]
Braden: wind
Camila: vento [slowly - broken down by syllable]
Camila: vento [natural native speed]
: Next:
Camila: forte [natural native speed]
Braden: strong
Camila: forte [slowly - broken down by syllable]
Camila: forte [natural native speed]
: Next:
Camila: porco [natural native speed]
Braden: pig, pork
Camila: porco [slowly - broken down by syllable]
Camila: porco [natural native speed]
: Next:
Camila: aparecer [natural native speed]
Braden: to appear, to show up
Camila: aparecer [slowly - broken down by syllable]
Camila: aparecer [natural native speed]
VOCAB AND PHRASE USAGE
Braden: Let's have a closer look at the usuage for some of the words and phrases from this lesson.
Thássia: the first word we’ll look at is “anhanga”. Anhanga is a word used to describe an evil spirit in native Brazilian folklore.
Braden: And Anhanga protects newborns and their mothers from hunters, right?
Thássia: right. our next word is “despistar”
Braden: Despistar literally means “to make loose the clue,” or “to un-path” and is used to mean “to foil” or “to mislead.” In the dialogue we translated it as “to throw off.”
Thássia: Next we’ll take a quick look at the difference between mata and mato.
Braden: Mata, written with “a”, means “large land where trees grow”
Thássia: and mato, written with “o” means “thicket.” They sound very similar - mata and mato.
Braden: Last we’ll look at the difference between pêlos and pelos. These words are written and pronounced the same way p-e-l-o-s.
Thássia: The only difference is that pêlos, with a circumflex, means “body hair” and pelos, without the circumflex, is a preposition that means “by the” or “for the.”

Lesson focus

Braden: So The focus of this lesson is indirect object pronoun position.
Thássia: Right. in the dialogue we heard the phrase Ele não vai aparecer só pra lhe conhecer, né Sofia?
Braden: Which we translated as "He won’t appear just to meet you, will he Sofia?” Here, lhe is placed before the verb.
Thássia: Indirect object pronouns are placed either before or after verbs forms. They are placed before negative commands and technically should not start a sentence.
Braden: for example, Ele me enviou o pacote. means “He sent me the package.”
Thássia: But it could just as easily be ele enviou-me o pacote. the meaning doesn’t change. But we prefer to say Ele me enviou o pacote.
Braden: and for negative sentences like Não lhe diga nada. which means “Don’t say anything to him.” the não comes first then the indirect object pronoun then the verb.
Thássia: like in Não me fale assim. – “Don’t speak like that to me.” just to include the command form from last lesson.
Braden: okay so here are the rules for where to put the indirect object pronouns. Indirect object pronouns normally precede the verb in negative statements like we said before.
Thássia: they precede the past participle, like in the sentence “o pacote lhe foi enivado.”
Braden: and they preceed the verb in the future or conditional tense. So sentences like Eu lhe mandará o pacote. or eu lhe mandaria o pacote.
Thássia: our second rule is that indirect object pronouns normally follow verbs which start sentences. Our tip though is that this rule is rarely followed in spoken Portuguese. I travel a bit so I often hear Me avisa quando você chegar. – Tell me when you arrive.
Braden: other than these cases, it’s up to personal taste. Indirect object pronouns may precede or follow the verb in all other cases.
Thássia: so the sentence, Ele não vai te fazer mal algum. – "He won’t harm you at all.”
Braden: and Ao entrar numa mata deve-se levar sempre uma oferenda para o Curupira. – "As you enter a thicket you must carry with you an offering to the Curupira.” before or after, it’s all okay.

4 Comments

Hide
Please to leave a comment.
😄 😞 😳 😁 😒 😎 😠 😆 😅 😜 😉 😭 😇 😴 😮 😈 ❤️️ 👍
Sorry, please keep your comment under 800 characters. Got a complicated question? Try asking your teacher using My Teacher Messenger.

PortuguesePod101.comVerified
Tuesday at 6:30 pm
Pinned Comment
Your comment is awaiting moderation.

Has this ever happened to you?

Jaimie
Sunday at 7:35 am
Your comment is awaiting moderation.

Eu sou de Pennsylvania. Dizem que a Pensilvânia é assombrada. Tambem existi muitas lendas das florestas lá.

PortuguesePod101.comVerified
Thursday at 11:09 am
Your comment is awaiting moderation.

Oi Maria,

Acho que a maioria das lendas em qualquer país são assustadoras! Mas pelo menos a maioria dos personagens do folclore brasileiro só são malvados com pessoas que fazem algo errado, ou não se comportam como deveriam de acordo com a cultura da região.


Mas tem uma lenda muito bonita, sobre a flor vitória-régia. Você já viu? Acho que você pode encontrar na internet. É muito bonita e romântica, espero que você goste!


Paloma

Team PortuguesePod101.com

Maria
Thursday at 9:33 pm
Your comment is awaiting moderation.

Lendas brasileiras são tão assustadoras! :flushed: Um menino com os pes virados para atraz, Iara que matou gente, Boto que fez meninas grávidas com golfinhos, mas a lenda mais assustadora pra mim é Mula sem cabeça que pode arrancar a sua cabeça!!!:flushed: :open_mouth:

Na cidade do meus pais nos tinhamos a lenda sobre a mulher com os pes do cavalo, a gente era com medo mas ninguem ainda pode dizer se ela fez mal algum :laughing: